Como é o curso de graduação em Engenharia Elétrica?

7 minutos para ler

Você está concluindo o ensino médio e ainda está indeciso sobre que curso fará na faculdade? Embora essa incerteza seja bastante comum durante essa fase da vida, seria bem melhor já ter em mente a profissão que você deseja exercer. Para ajudá-lo nessa empreitada, no post de hoje, vamos apresentar um curso de graduação que possibilita uma carreira cheia de desafios interessantes e um bom retorno financeiro: a Engenharia Elétrica.

Esse é um curso bastante popular dentre os alunos que gostam da área de exatas e que desejam cursar uma engenharia.

E você, quer saber mais detalhes sobre essa carreira, como é o mercado de trabalho dessa profissão e conhecer o universo do curso de Engenharia Elétrica? Continue acompanhando!

Como é o curso de graduação em Engenharia Elétrica?

A graduação em Engenharia Elétrica prepara o estudante para atuar em projetos na área da eletrônica, bem como supervisionar e coordenar estudos para geração, distribuição e transmissão de energia elétrica. Para isso, o aluno aprende a aplicar os princípios da física e das ciências exatas na elaboração desses projetos voltados para a eletricidade e o eletromagnetismo.

O curso tem duração média de 5 anos (ou 10 períodos) e concede ao egresso o título de bacharel. A carga horária é de, aproximadamente, 4.100 horas, que são divididas entre a grade de disciplinas obrigatórias e eletivas, atividades complementares, estágio supervisionado e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Que matérias são estudadas durante a graduação?

No princípio, as matérias estudadas são as básicas de um curso de engenharia, como desenho técnico, introdução ao cálculo, estatística e probabilidade etc.

Após esse primeiro momento, mais introdutório, o aluno tem base suficiente para iniciar as aulas práticas em laboratórios. Esse é o momento que torna o aprendizado ainda mais interessante e, durante a formação profissionalizante, o estudante terá aulas de desenvolvimento de projetos de materiais elétricos, bem como elaboração de sistemas digitais, elétricos e eletromagnéticos.

Além disso, aulas de administração, custos industriais, avaliação econômica de projetos e pesquisa aplicada em fontes de energia capacitam ainda mais o estudante para o mercado de trabalho.

Ao final do curso, o estudante fará um estágio supervisionado, em que terá a oportunidade de demonstrar na prática seus conhecimentos e habilidades adquiridas durante a graduação. Finalmente, para que ele possa sair com o diploma em mãos, o aluno deve elaborar o TCC junto a um professor orientador.

Em que áreas um engenheiro eletricista pode atuar?

Ao terminar a graduação em engenharia elétrica, o formado terá uma gama de opções de áreas em que poderá atuar como profissional. Veja alguns exemplos a seguir:

  • Automação: atuar em projetos de equipamentos eletrônicos voltados para linha de produção industrial.
  • Eletrotécnica: planejamento e operação de sistemas elétricos. Elaborar projetos para construção de usinas, redes de geração de energia e seus equipamentos, estações, além de reparar e ampliar redes de alta-tensão.
  • Eletrônica: projetar circuitos eletrônicos para aquisição e transmissão de dados.
  • Engenharia biomédica: desenvolver e produzir equipamentos para hospitais, clínicas e laboratórios.
  • Programação: projetar componentes e desenvolver sistemas de computação.
  • Telecomunicações: desenvolver sistemas e equipamentos para telefonia e outros meios de comunicação, bem como projetar serviços de transmissão de dados por meio de som e imagem.
  • Instrumentação: trabalhar no desenvolvimento de equipamentos para medição, registro de dados etc.

Qual é o perfil do profissional de Engenharia Elétrica?

Quem se interessa pela graduação em Engenharia Elétrica precisa, antes de mais nada, gostar da área de exatas. Isso porque, como se pode ver pelas disciplinas sobre as quais falamos anteriormente, a grade do curso envolve cálculos, fórmulas e outras habilidades do universo da matemática.

[Guia Prático] 6 Passos para acertar na escolha da profissão
[eBook] O guia completo do futuro estudante de engenharia

O senso de responsabilidade também é outra característica essencial para o trabalho de engenheiro eletricista, visto que, muitas vezes, ele lidará com projetos complexos e que envolvem muitos detalhes que influenciarão diretamente no dia a dia de muitas pessoas, como é o caso daqueles que trabalham com o planejamento de linhas de transmissão de energia.

Organização é outra característica importante para qualquer área de atuação, especialmente para o engenheiro eletricista, que deverá planejar e executar projetos complexos, com várias etapas e recursos materiais e humanos envolvidos.

E por falar em recursos humanos, habilidades de gestão de pessoas também são muito bem-vindas para o profissional de Engenharia Elétrica, especialmente para que desejam atuar em cargos de liderança. Bom senso, paciência e boa capacidade de comunicação serão tão necessários quanto as habilidades com números e cálculos.

Quais são as principais possibilidades de especialização na área?

Diante da atual concorrência no mercado, tornar-se especialista em uma área de atuação é essencial para se destacar e garantir as melhores oportunidades de emprego. Para quem deseja continuar estudando após conseguir o diploma, apostar em uma pós-graduação é a melhor escolha.

Existem duas possibilidades para o engenheiro eletricista: as pós do tipo lato sensu, também conhecidas como especializações; ou as stricto sensu, que são os mestrados e doutorados.

Para quem deseja seguir na carreira acadêmica, atuando com pesquisa ou lecionando em universidades, o mestrado e o doutorado são a escolha certa.

Já aqueles que desejam algo mais voltado para o mercado, um curso de especialização é a melhor opção para se aprofundar e tornar-se um verdadeiro especialista em sua área.

Como está o mercado de trabalho para engenheiros eletricistas?

Segundo o site da EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), o plano decenal de expansão de energia (PDE 2014) fez previsões otimistas para o setor. O artigo cita uma expansão de 55% da capacidade de geração de energia elétrica no Brasil até 2024, gerando um total de 1,4 trilhões de reais em investimentos.

Com o mercado elétrico em ascensão, muitas oportunidades de trabalho estão surgindo, tanto no setor público quanto no privado e, com as novas tecnologias que estão sendo implantadas nos últimos anos, a necessidade de profissionais que dominem essas ferramentas é muito grande. Além disso, novas fontes de energia estão sendo estudadas e é necessário mais engenheiros eletricistas com todo o conhecimento teórico e técnico para elaborar projetos e aplicá-los na sociedade.

A faixa salarial para o egresso do curso de Engenharia Elétrica gira em torno dos R$3.000 mensais para cargos de trainee. Já para os profissionais com mais experiência de mercado, em cargos de coordenação, por exemplo, a remuneração pode chegar aos R$10.000.

A Engenharia Elétrica pode ser classificada como uma das profissões do futuro, e você pode fazer parte desse grupo que contribuirá muito para o desenvolvimento de nossa sociedade.

E então, gostou das informações do post de hoje? Então aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de todas as atualizações aqui do blog com exclusividade em seu e-mail!

[eBook] Guia Definitivo da Orientação Vocacional
Posts relacionados

2 thoughts on “Como é o curso de graduação em Engenharia Elétrica?

    1. Oi João,

      Aqui é o Bruno do Blog UniFOA, td bem?
      A área de Engenharia Elétrica irá crescer muito, seja pela adesão de novas tecnologias ou pela expansão de construção em nosso país.

Deixe um comentário