Vestibular

Estudar com mapas mentais: saiba como e por que fazer!

estudar-com-mapas-mentais-saiba-como-e-por-que-fazer.jpeg

Um dos maiores desafios que os estudantes enfrentam é dar conta de aprender satisfatoriamente todas as matérias, pois, além de muitas e diversificadas, as disciplinas costumam ter conteúdos bastante complexos. Para driblar essa dificuldade, é possível usar ferramentas que melhoram o processo de aprendizagem. Uma estratégia poderosa que o estudante tem ao seu favor é estudar com mapas mentais. Já ouviu falar deles?

O que são mapas mentais?

Nas aulas que já teve de biologia, você já deve ter ouvido falar que as atividades cerebrais baseiam-se em sinapses entre neurônios, ou seja, conexões entre células. A ideia básica da estratégia de mapas mentais é exatamente a mesma: fazer associações.

Se o cérebro promove a aprendizagem de suas estruturas pela conexão entre elas, é pela associação dos conteúdos que aprendemos. Mas, por que estudar com mapas mentais?

Estudar com mapas mentais organiza o nosso conhecimento?

Um mapa mental estrutura de forma coerente e direcionada os conteúdos que estamos estudando. À medida que o mapa vai sendo montado, raciocinamos sobre o assunto e dividimos suas informações em porções, o que leva o cérebro a fazer conexões mais significativamente e com maior facilidade.

Assim, organizamos o nosso conhecimento para guardar e retomar informações e para produzi-las, em uma redação, por exemplo.

Estudar com mapas mentais melhora a nossa memorização?

O esquecimento é um processo natural e até necessário, pois não temos condições mentais de guardar todas as informações que obtemos. No entanto, determinados conteúdos precisam ser arquivados em nossa memória, o que exige que encontremos meios para poder memorizá-los e nos lembrarmos deles quando precisarmos.

O mapa mental é a ferramenta mais eficiente para memorizar informações relevantes por um longo período de tempo. Isso porque, ao organizar de maneira significativa o conhecimento aprendido, essa técnica torna salientes as informações que foram estruturadas e é capaz de condensar os conteúdos em blocos facilmente recordáveis.

Estudar com mapas mentais aumenta a nossa produtividade?

Os mapas mentais sintetizam de modo estruturado, hierarquizado e rápido o conteúdo estudado e facilitam sua revisão. Com o conhecimento sobre um determinado assunto organizado e guardado na memória, o tempo destinado às atividades acadêmicas é otimizado, o que possibilita aumentar a quantidade de conteúdos a serem estudados. Assim, essa técnica eleva a nossa produtividade, permitindo que estudemos mais.

Como fazer um mapa mental?

Podemos pensar em um mapa mental como uma árvore com ramificações de diferentes tipos. No centro dela, deve ficar o tema a ser mapeado, do qual brotam os galhos, que são os subtópicos desse assunto. Esses subtópicos podem também ser ramificados, dependendo da complexidade do conteúdo que está sendo estudado. A ideia é fazer conexões coerentes que promovem a absorção visual das informações.

Para estudar com mapas mentais, são necessários um espaço em branco — uma folha de papel ou uma plataforma digital — e variadas cores, canetas coloridas ou ferramentas digitais. A elaboração do mapa é uma tarefa simples, que exige reflexão e capacidade estabelecer relações. É importante que antes de iniciar a técnica, o texto seja grifado em suas partes principais, sendo formadas palavras-chave que comporão o mapa.

Agora que você já conhece os mapas mentais, que tal saber 6 dicas para escolher a universidade certa para o seu futuro?

Deixe um comentario