Por que a flexibilidade curricular é tão importante?

3 minutos para ler

Seguindo a corrente das transformações no mundo, a educação superior caminha no rumo da flexibilidade curricular. Essa vertente possibilita ao aluno uma matriz menos engessada e aumenta a sua liberdade de escolha ao longo da trajetória formativa.

Ela acontece por meio da possibilidade de mudanças nas grades curriculares de uma graduação, permitindo a alternância entre atividades online e presenciais, além do direcionamento a atividades práticas.

Se você quer entender mais sobre a flexibilidade curricular e suas vantagens, continue lendo nosso post!

Aplicação prática

Com essa nova perspectiva de estudos, a relação professor e aluno passa por uma mudança importante. Agora, o responsável pelo ensino assume também uma função de orientação. Isso acontece principalmente nas disciplinas não obrigatórias, nas quais há maior autonomia do estudante para optar pelas experiências de maior interesse.

Nesse cenário, o formando tem a possibilidade de programar estudos mais coerentes com o seu momento profissional e pessoal, organizando a base curricular de acordo com a sua realidade.

Essa diversificação do plano de ensino motiva o aluno a ser mais participativo ao longo de sua graduação, além de contribuir significativamente para a redução dos altos índices de desistências no meio da educação superior.

Desenvolvimento profissional

A flexibilidade curricular permite o envolvimento do estudante em atividades variadas. Tais práticas trabalham no sentido de desenvolver habilidades e competências, não somente em áreas relacionadas à formação, como em aspectos emocionais e sociais.

[Guia Prático] 6 Passos para acertar na escolha da profissão

Essa articulação de atividades obrigatórias e não obrigatórias mescla teoria e prática, favorecem a satisfação do estudante, além de aprimorar inteligências relacionadas à liderança, desenvoltura em grupo e valores altruístas.

Otimização de tempo

Por meio dessa alternativa, o aluno cria uma grade curricular personalizada, com ênfase naquilo que realmente será efetivo para sua formação. Isso acontece por meio da combinação de conteúdos, seja de maneira online ou atividades e aulas presenciais.

Sendo assim, uma matriz flexível promove um melhor aproveitamento do tempo, além da aplicação mais eficiente e ágil dos saberes.

Independência do estudante

Com a orientação dos professores, a partir da flexibilidade curricular, o estudante tem a independência para construir ativamente a condução do seu ensino superior. Isso baseado em suas afinidades e gostos, em coerência com seus objetivos e metas.

Essa condição gera um maior comprometimento e responsabilidade com a formação, além de alinhar os estudos com as expectativas de cada aluno.

Por fim, percebe-se que a flexibilidade curricular permite que o estudante desenhe a sua própria trajetória. Nessa perspectiva, a qualidade do ensino é garantida por instituições com estratégias inovadoras e bem avaliadas no meio da educação. Como resultado, a faculdade forma melhores profissionais e cidadãos.

Nesse sentido, o UniFOA inicia no primeiro semestre de 2019 a flexibilização curricular dos cursos de Engenharia, que passarão a funcionar no sistema de créditos. Tal novidade possibilita maior autonomia para o estudante da área, acompanhando a evolução da educação e contribuindo ativamente para as mudanças necessárias.

Então, se este post sobre a flexibilidade curricular foi relevante para você, assine a nossa newsletter para ter acesso a conteúdos exclusivos em primeira mão!

 

[eBook] Guia Definitivo da Orientação Vocacional
Posts relacionados

Um comentário em “Por que a flexibilidade curricular é tão importante?

Deixe um comentário